BrasilEsportes

Flamengo é avassalador, vence o Athletico e conquista a Supercopa do Brasil

Fonte: Gazeta Esportiva

Com uma grande atuação, o Flamengo conquistou o primeiro título da Supercopa do Brasil neste domingo, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF). Na decisão da nova taça criada pela CBF, o campeão Brasileiro fez 3 a 0 sobre o Athletico Paranaense, campeão da Copa do Brasil e levantou o caneco.

Bruno Henrique e Gabigol marcaram para o Rubro-Negro carioca na primeira etapa. Arrascaeta fechou o placar no segundo tempo.

Com o primeiro título do ano no ‘bolso’, o Flamengo vai decidir no próximo sábado o título da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. A partida será no Maracanã contra o vencedor de Boavista e Volta Redonda, que se enfrentam às 16 horas deste domingo.

O Jogo – O Flamengo iniciou a partida marcando a saída de bola do Athletico e imprimindo um jogo de alta intensidade. A equipe paranaense optou pela cautela nos primeiros minutos, se manteve fechada e tentava bolas em profundidade.

O campeão brasileiro assustou logo aos 2 minutos. William Arão tabelou com Gabigol na direita da área, recebeu de volta e tentou cruzar. A bola desviou na marcação e foi em direção ao gol, mas Santos, bem colocado, espalmou para escanteio.

A equipe de Jorge Jesus comandava as ações em campo com passes rápidos e não demorou a abrir o placar no Mané Garrincha. Aos 14, Arrascaeta dominou na entrada da área pela direita e abriu para Gabigol. O camisa nove cruzou pelo alto e Bruno Henrique se enfiou pelo meio dos zagueiros e devisou de cabeça para fazer 1 a 0.

O Flamengo não tirou o pé e ampliou aos 28, numa bobeira da defesa do Athletico. Filipe Luís avançou pela esquerda sem marcação, se aproximou da área e cruzou. A bola ficou fácil para a defesa e o lateral-esquerdo Márcio Azevedo tentou atrasar para o goleiro com um toque de peito. Oportunista, Gabigol interceptou o lance e bateu para o gol.

Com 2 a 0, o Flamengo tirou um pouco o pé do acelerador e o Athletico começou a aparecer no ataque, explorando a linha alta da defesa carioca.

Aos 33, os paranaenses chegaram com perigo pela primeira vez. Rony é derrubado na entrada da área e a falta foi marcada. Marquinhos Gabriel cobrou por cobertura e mandou por cima do gol de Diego Alves, mas a bola passou perto.

O Athletico chegou novamente aos 40. Chutão da defesa e Marquinhos Gabriel recebe próximo da área pela esquerda. Marcado por Rodrigo Caio e Gustavo Henrique, ele consegue penetrar e bate cruzado. Diego Alves salva o Flamengo e cede o escanteio.

Dois minutos depois, Rony é lançado na esquerda. Marcado por Rafinha, o atacante cortou para trás e cruzou rasteiro na pequena área. Erick aparece no meio da zaga e desvia, mas pega mal e a bola vai para fora. Foi a melhor chance do Athletico no primeiro tempo.

O técnico Dorival Júnior decidiu mexer na equipe no intervalo e o Atlhetico retornou para o segundo tempo com duas alterações. O jovem Abner Vinícius substituiu Márcio Azevedo na lateral-esquerda e o meia Fernando Canesin entrou no lugar de Khellven na lateral-direita.

Escaldado pela reação do Fluminense no clássico da última quarta-feira pelo Campeonato Carioca, e temendo o desgaste físico, o Flamengo voltou para a etapa final com um novo ajuste. A intensidade na marcação da saída de bola do adversário deu lugar à uma postura mais recuada. Sem abrir mão do controle do jogo, a luta pela bola se deslocou para o meio de campo.

A recuperação da bola e o contra-ataque em velocidade passaram a ser o caminho para o gol. Aos 15, quase o terceiro esteve perto. Gabigol puxou o contra-ataque pela direita desde antes da linha média e, na intermediária, enfiou para Bruno Henrique na área. O camisa 27 entrou por trás da defesa, ficou cara a cara com Santos e tentou tirar do goleiro, mas o camisa 1 do Furacão conseguiu tocar na bola e evitou o gol.

Aos 23, entretanto, não houve jeito de evitar. Após um bate rebate próximo da linha média pela esquerda, Arão lançou Bruno Henrique, que disparou em direção à área, penetrou e tentou o toque para Gabigol do outro lado. Santos interceptou o passe mas largou para o meio. Arrascaeta aproveitou a sobra e bateu de primeira para o fundo da rede.

Com três de vantagem, Jorge Jesus fez alterações na equipe. Michael foi o primeiro a entrar na vaga de Arrascaeta, aos 27.

O Athletico conseguia chegar esporadicamente. Aos 29, levou perigo numa jogada de Nikão pela esquerda da área. Ele foi à linha de fundo e cruzou. Bissoli tentou de letra, a bola bateu em Rodrigo Caio e retornou para ele, que encheu o pé e a bola acertou o travessão.

Aos 39, Bissoli arriscou da entrada da área e bateu forte. Diego Alves se esticou e defendeu.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 0 ATHLETICO PARANAENSE

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 16 de fevereiro de 2020 (Domingo)
Horário: 11h(de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Renda: R$ 7.423.760,00
Público: 48.009 pessoas
Cartões amarelos: Erick, Nikão (Athletico); Gabigol (Fla)

Gols:
FLAMENGO: Bruno Henrique, aos 14, Gabigol, aos 28 min do 1° tempo; Arrascaeta, aos 23 min do 2° tempoFLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís (Renê); Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Diego), e De Arrascaeta (Michael); Bruno Henrique e Gabigol
Técnico: Jorge Jesus

ATHLETICO: Santos, Khellven (Fernando Canesin), Thiago Heleno, Lucas Halter e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Wellington, Erick, Léo Cittadini (Guilherme Bissoli) e Marquinhos Gabriel Nikão e Rony
Técnico: Dorival Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar