Colunas

Como lidar com situações problemáticas por Wagner Siqueira

Por certo você facilmente identifica em seu escritório quem tem a mesa mais bem organizada, aquele que mantém tudo em seus devidos lugares, com todos os objetos dispostos rigorosamente prontos para serem utilizados. É claro que você também sabe que essa pessoa normalmente tende a reagir a quaisquer mudanças de seu cotidiano, seja na simples rearrumação dos móveis, na disposição dos utensílios e da decoração, principalmente, na forma em que são realizadas as tarefas do dia-a-dia.

Em geral, o Sistemático é o que sempre se apresenta como voluntário para tomar conta do tempo das reuniões de que participa. Pessoas assim são organizadas e meticulosas, sempre têm o lugar adequado para tudo e detestam ver seus objetos fora do lugar. Reagem à mudança, raramente, fazem algo sob o impulso do momento. Cerebrais, recusam-se a ceder às emoções. Empenham-se na análise dos problemas com os quais se defrontam e adoram se dedicar aos aspectos menores e aos detalhes e minudências que os outros menosprezam ou desconsideram.

Toda vez que você se relacionar com pessoas que tenham essas características, lembre-se de que elas preferem ouvir do que falar e, assim, prepare-se para manter a iniciativa do diálogo. Se tiver a expectativa que o ajudem a resolver algum problema, seja comedido ao lhes passar os detalhes. Não jogue sobre elas tudo de uma só vez. Essas pessoas preferem analisar cada coisa separadamente, em partes, e tratar uma a uma a seu tempo. Julgam os seus interlocutores pela organização, precisão e clareza do que dizem e escrevem.

Passe-lhes as tarefas seguindo a sequência dos eventos ou atividades, em ordem, deixando-os livremente comentar passo a passo o que desejarem. Não espere que se saíam bem em trabalho de grupo. Não têm paciência para ouvir os desvios de objetividade na comunicação dos interlocutores. Preferem realizar atividades solitárias, em que possam se desincumbir de tudo sozinhos. Embora não sejam destituídos de senso de humor, levam muito a sério o que fazem.

Evite envolvê-los em brincadeiras quando estiverem ocupados. Isto os irrita. Não os peça também que atuem como consultores, mentores ou conselheiros de seus colegas menos experientes. Detestam o desempenho dessas funções educacionais. No entanto, tendem a seguir fielmente os conselhos e sugestões que recebem, especialmente quando percebem que lhes serão úteis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar