Colunas

Você sabe o que é uma úlcera venosa? Descubra o que é e se cuide

Especialistas explicam quais são as causas e como tratar

A úlcera venosa é classificada como a forma mais grave da Insuficiência Venosa Crônica, ela pode surgir espontaneamente ou após algum trauma na região de pés, tornozelo e pernas. Esse tipo de lesão é bastante comum em pessoas que possuem varizes de longa data ou sequelas venosas importantes de trombose venosa profunda.

Segundo a cirurgiã vascular, Dra. Fátima Mohamad El Hajj, a falha no retorno venoso nestes pacientes é tão importante que existe um represamento de sangue e linfa que ao longo do tempo danificam a pele e o tecido celular subcutâneo, então qualquer lesão na pele (até mesmo coçar as pernas) pode levar a úlcera.

“Os principais sintomas são feridas abertas, secreção clara, secreção purulenta, dor e flogose. Presença de infecção ativa no sítio da úlcera, diabetes mellitus associada e a não adesão ao tratamento, podem ser agravantes”, explica a especialista.

A Dra. Sabrina Payne Tartarotti, cirurgia geral, conta que após o diagnóstico, feito visualmente através do exame físico, cada paciente vai receber uma prescrição de curativo de acordo com as características da úlcera, o plano terapêutico é individualizado e ao longo do tempo o cirurgião vascular vai modificando o tipo de curativo até a pele estar novamente íntegra.

“Os principais fatores de risco da úlcera venosa são Insuficiência Venosa Crônica, Trombose Venosa Profunda, Sedentarismo, Traumas locais, Obesidade mórbida e Perda da mobilidade do tornozelo”, alerta.

O tratamento pode ser medicamentoso e procedimentos cirúrgicos, cobertura correta da área exposta e da pele íntegra, compressão elástica de alta compressão 30-40mmHg, ou faixas elásticas de alta compressão.

“A melhor forma de prevenir a úlcera venosa é tratar as varizes logo que você for diagnosticado ou perceber veias anormais em si mesmo. Além disso, deve seguir a prescrição do seu cirurgião vascular, especialmente o uso de meias compressivas e o tratamento da pele”, orienta a Dra. Fátima Mohamad El Hajj.

Fontes:

Dra. Fátima Mohamad El Hajj

CRM 145914

Cirurgiã Vascular

Dra. Sabrina Payne Tartarotti

CRM 181886

Cirurgiã Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: