PolíticaRêconcavo Baiano

MDR garante a retomada de obras de 500 moradias em Santo Amaro

Residencial Solar Paraíso vai beneficiar 2 mil pessoas de baixa renda. Iniciativa do Governo Federal também deve gerar mais de mil empregos na região

Brasília-DF, 2/7/2020 – O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) autorizou a retomada das obras do Residencial Solar Paraíso, em Santo Amaro (BA). No total, serão concluídas 500 unidades habitacionais que vão beneficiar 2 mil pessoas de baixa renda. Os serviços para a finalização do projeto devem gerar mais de mil postos de trabalho diretos, indiretos e induzidos. O empreendimento é contratado com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) para atender famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a retomada dos serviços demonstra o interesse do Governo Federal em atender às famílias que mais precisam ao mesmo tempo em que fortalece a economia. “Temos uma determinação do presidente Jair Bolsonaro que é de não deixar obras paradas. A continuidade deste e de outros empreendimentos também é um estímulo para a economia nas regiões”, afirmou.

O condomínio é composto por 65 blocos de casas sobrepostas e foi contratado em abril de 2010, mas as obras foram paralisadas em função de adequações necessárias a novos parâmetros para a construção de habitações no estado. Atualmente, o Residencial Solar Paraíso está com 99% de execução física. O projeto conta com equipamentos comunitários como quiosques, quadras poliesportivas, parques infantis e centros comunitários.

Em Belém, no Pará, o Governo Federal também autorizou a retomada da construção do Residencial Viver Outeiro. Por lá, 1.008 unidades habitacionais atenderão famílias de baixa renda da capital paraense. O empreendimento está com 95% das obras finalizadas.

Mais investimentos em habitação

Só neste ano, o Ministério do Desenvolvimento Regional autorizou a transferência de mais de R$ 1 bilhão do Orçamento Geral da União para garantir a execução do programa de habitação popular do Governo Federal. A maior parte dos recursos, R$ 740 milhões, foi destinada à continuidade das obras de cerca de 289 mil moradias para atender famílias da Faixa 1, com renda mensal inferior a R$ 1,8 mil.

Também foram entregues 134 mil residências para beneficiários do programa até o fim de maio. Desse total, 18 mil foram destinadas a famílias que mais precisam. Além disso, mais de 136 mil unidades habitacionais foram contratadas para as Faixas 1,5; 2; e 3. Elas são financiadas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar