BahiaCidadesEducação

Escolas estaduais se mobilizam neste sábado (14) para Conselho de Classe

Professores, coordenadores pedagógicos e gestores escolares da rede estadual estão reunidos, neste sábado (14), para cumprir mais uma etapa do calendário escolar do ano letivo 2019: a realização do Conselho de Classe. A partir do tema “Um olhar a mais sobre a aprendizagem dos estudantes”, equipes técnica e pedagógica da Secretaria da Educação do Estado (SEC) participam da atividade nas escolas da capital e do interior no sentido de apoiar e contribuir no trabalho pedagógico que assegure a aprendizagem dos estudantes e a continuidade do seu percurso escolar.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, fez uma avaliação sobre a importância da realização do Conselho de Classe nas unidades da rede. “Hoje estamos mobilizados em toda a Bahia acompanhando o Conselho de Classe, que é uma oportunidade para que as escolas avaliem o andamento das duas unidades e apreciem a evolução dos estudantes para as próximas. Então, a Secretaria está presente nas reuniões dos colegiados, compartilhando este momento com a comunidade escolar e prestando todo o apoio  para cuidar, para estar junto com a escola neste olhar para as aprendizagens dos estudantes, fazendo o acompanhamento desta ação, que já está no nosso calendário escolar”, destacou o secretário, que participou, na manhã deste sábado, de diferentes atividades no Colégio Estadual Edvaldo Brandão, em Cajazeiras VI, onde, além do Conselho de Classe, foi realizado um Aulão preparatório do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e a Pré-FLIN, que marca o início das ações para a primeira edição do Festival Literário Nacional (FLIN), que será promovido pelo overno do Estado da Bahia, de 12 a 15 de novembro no bairro.

O diretor do Colégio Kléber Pacheco de Oliveira, em Lauro de Freitas, Paulo Cesar dos Santos, falou sobre este dia de mobilização nas escolas. “O Conselho de Classe tem extrema importância em todo processo de aprendizado do aluno, porque vamos analisar o aluno de uma forma mais criteriosa, e não vendo apenas a questão de rendimentos, mas, sim, analisar o aluno no seu todo. A partir daí, vamos pensar em criar estratégias com o próprio aluno, com os professores e com o envolvimento da família para a melhoria do seu aprendizado”.

Já a professora  de Língua Portuguesa e Redação, Arilce Trigueiro, falou sobre os desdobramentos desta análise. “Depois das pontuações do Conselho de Classe, a coordenadora pedagógica convida o aluno, individualmente, para fazer as sinalizações, tanto para elogios, quanto para chamar a atenção em relação a algumas pontuações que a gente coloca durante o Conselho e, se for algo que esteja extrapolando os limites do Colégio, chamamos a família, para uma conversa”, afirma.

Em visita a algumas escolas da capital e da Região Metropolitana, a superintendente de Políticas para a Educação Básica do Estado, Manuelita Brito, também destaca o papel do conselho na aprendizagem. “O Conselho de Classe é um momento igualmente importante para a rede, como é a Jornada Pedagógica, mas é ainda mais interessante do ponto de vista da gestão escolar porque ela reúne a comunidade escolar: os pais, os estudantes. Além de que é um tempo muito sensível na educação porque o meado do segundo semestre é um momento que temos mais clareza de quais os estudantes que vão avançar, vão progredir e aqueles que estão com dificuldade, que não conseguiram nesses dois terços iniciais do ano alcançar o objetivo da aprendizagem”.

Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar