BahiaPolítica

Deputados Federais já gastaram R$ 4 mi em cota parlamentar na pandemia

Infosaj

Em ano marcado por quatro meses de pandemia e ritmo de trabalho bem abaixo do normal no Congresso, os 39 deputados federais da Bahia gastaram mais de R$ 4 milhões com a cota parlamentar, verba abastecida pelos cofres públicos para custear despesas dos integrantes da Câmara.

Entre os quais, combustíveis, aluguel de carros, alimentação e passagens aéreas. A soma se refere aos gastos realizados desde fevereiro, quando recomeçaram as atividades legislativas, mas pode ser ainda maior, já que a conta de junho não havia sido fechada até a noite de ontem, de acordo com informações levantadas na página de transparência da Câmara.

Do meu, do seu, do nosso…
Na lista de despesas pagas pelo contribuinte para os deputados do estado, a principal delas é a divulgação da atividade parlamentar. Mesmo com a Câmara em marcha lenta, só com o item foram gastos R$ 1,5 milhão. Em seguida, vem aluguel de veículos (R$ 1,03 milhão), consultorias (R$ 835 mil), escritório nos estados (R$ 776 mil) e combustíveis (377 mil).

Sem economia
O levantamento feita pela Satélite na base de dados da Câmara apontou Charles Fernandes (PSD) como o parlamentar baiano que mais consumiu recursos do chamado cotão durante a crise provocada pelo novo coronavírus. Desde fevereiro, as despesas de Fernandes totalizaram R$ 172,6 mil.

Logo abaixo, vêm Uldurico Júnior (Pros), Daniel Almeida (PCdoB) e Alex Santana (PDT), respectivamente,  com despesas de R$ 170,3 mil, R$ 159,6 mil e R$ 158,9 mil. Empatados em quinto lugar, estão Ronaldo Carletto (PP) e Abílio Santana (PL), ambos com gastos de R$ 144 mil. No topo da lista da bancada baiana, aparecem ainda Joseildo Ramos (PT), com R$ 140 mil, e Igor Kannário (DEM), com R$ 131,7 mil.

Mãos fechadas
Na ponta de baixo da tabela, a que reúne os parlamentares da Bahia que mais economizaram verba do cotão, o deputado Pastos Sargento Isidório  (Avante) ocupa isoladamente o primeiro lugar. Os gastos informados por ele somaram apenas R$ 27,2 mil, quase sete vezes menos que o campeão de despesas. Na sequência, surgem João Carlos Bacelar (PL), com R$ 40,1 mil, e Márcio Marinho (Republicanos), com R$ 55,7 mil.

Dano colateral
Advogados que defendem alvos da Operação Faroeste comemoram bastante o duelo entre a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo com a força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba. Como Lindôra é quem lidera as ações da Faroeste junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ),  criminalista que representam magistrados presos ou afastados e operadores do esquema de venda de sentenças no Tribunal de Justiça da Bahia acham que a subprocuradora terá agora margem menor para se dedicar à operação.

Na moita
Apontada como provável candidata a prefeita de Salvador pelo PSB. a deputada federal Lídice da Mata resolveu dar uma de lobo da montanha. Por enquanto, só observa o jogo. Informações do Correio da Bahia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar