Colunas

“Bancos digitais”, Conheça as principais vantagens para o microempreendedor

Nubank, Inter, Neon e Next são exemplos de instituições financeiras populares pela ausência de taxas em serviços bancários.

Evitar filas, fugir de processos burocráticos e sobretudo, taxas mais baratas na hora de escolher um serviço — tudo no conforto de casa — são algumas das vantagens dos bancos 100% online. Essas instituições financeiras privadas, além de não possuírem atendimento presencial, também tem chamado atenção de empreendedores pelas tarifas mínimas, rapidez na abertura de contas e até oferta de cartões sem anuidade.

A moda entre a geração ‘Y’ (millennials) e ‘Z’ no Brasil começou em meados de 2017, com a popularização dos bancos Nubank e o Next, embora o Banco Original — considerado o primeiro banco 100% digital em território nacional — já atuasse desde 2015. Como o perfil dos novos microempreendedores está entre 35 a 54 anos, segundo dados levantados pelo SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a “onda” dos bancos digitais não tardou a chegar aos empreendedores.

Para explicar a febre dos bancos digitais no Brasil, o administrador de empresas e membro da ABRACEM — Associação Brasileira de Consultores Empresariais, Alex Cruz, explica que a vantagem norteadora para microempreendedores optarem pelos bancos 100% digitais, além da comodidade da era digital, é a ausência de taxas.

“Quem opta pelos bancos virtuais, geralmente, paga apenas uma tarifa de mensalidade que o banco cobra para manutenção da conta. Além disso, o cliente não paga taxas de transferências, pagamentos, emissão de boletos, entre outras taxas que são cobradas no fim do mês pelos bancos tradicionais. Isso acontece porque esses bancos virtuais não possuem agências físicas, obtendo um gasto mais enxuto com funcionários, estrutura, seguranças, entre outros”, explica.

Segundo o consultor empresarial, os bancos digitais são, normalmente, bancos de investimento, sustentados por aplicações, empréstimos e cartões de crédito. O gestor afirma que por serem instituições financeiras de investimento, os microempreendedores já conseguem aplicar automaticamente o dinheiro que está sendo movimentado na conta — vantagem funcional e prática para pequenas empresas.

Na opinião do profissional, os principais e mais populares bancos para aderir hoje em dia são: Nubank, Banco Inter, Neon, Next, C6 Bank e Original. Auxiliando empreendedores na escolha do banco ideal, Alex orienta basear as escolhas nas dimensões e projeções da empresa para os próximos meses.

“Dependendo do tamanho do seu negócio, se for uma microempresa, MEI, ou de pequeno porte, os bancos digitais atenderão todas as suas demandas. Entretanto, se você tem uma empresa maior e deseja pedir empréstimos e financiamento, o banco convencional é melhor para barganhar, visto que os digitais irão depender exclusivamente das suas movimentações e aprovação de crédito, enquanto os tradicionais analisarão seu histórico, relacionamento com a instituição, capacidade de pagamento e afins”, conclui.

Para conhecer mais sobre bancos digitais para empreendedores, acesse consultoriacruz.com.br ou a página do Instagram @cruzconsultoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar