ColunasEducação

Audiodescrição é um recurso fundamental para garantia de uma educação inclusiva

Palestra sobre o tema será ministrada durante o Congresso de Educação Inclusiva (CEI): Intercâmbio entre profissionais da educação dos países de língua portuguesa

“A audiodescrição como recurso de adaptação pedagógica”. Este será o tema da palestra que a pedagoga e psicopedagoga Daiane Pina vai ministrar no Congresso de Educação Inclusiva (CEI): Intercâmbio entre profissionais da educação dos países de língua portuguesa, que acontecerá no Portobello Ondina Praia Hotel, em Salvador, nos dias 28 e 29 de março. Ao abordar a abordar a importância do uso da audiodescrição para a inclusão escolar como recurso pedagógico, a palestrante vai mostrar como a técnica amplia as possibilidades da pessoa cega ou com baixa visão obter acesso ao conteúdo apresentado em sala de aula de maneira mais ampla.

Segundo Daiane Pina, que é professora de educação inclusiva, audiodescritora, ledora e transcritora, “a audiodescrição é um recurso de acessibilidade comunicacional, uma  tradução semiótica que consiste em descrever imagens por meio das palavras, possibilitando que pessoas com deficiência visual tenham acesso a informações em espaços variados de cultura, educação, lazer e veículos de comunicação”, resumiu. 

Além de definições, a palestrante do CEI vai mostrar no evento como a utilização deste recurso em atividades como contação de histórias em quadrinhos,  obras de artes, livros didáticos e videoaulas é importante para aprendizagem de alunos que precisam da audiodescrição. “A aprendizagem mediada pelo professor é fundamental para o desenvolvimento da autonomia do aluno com deficiência visual no espaço escolar”, completou Daiane Pina.

Sobre o Congresso – Profissionais de Educação atuantes em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe se encontrarão no CEI. Os palestrantes desses países, confirmados para o evento, reúnem larga experiência em suas áreas de atuação, com foco na inclusão escolar de Pessoas com Deficiência (PcD). O objetivo do evento é possibilitar uma visão global da educação inclusiva e, através dos conhecimentos e experiências compartilhados, fortalecer práticas educativas. 

Segundo uma das organizadoras do evento, a psicopedagoga Patrícia Silva, a programação do CEI contribuirá de forma significativa para o alcance de um melhor atendimento às pessoas com deficiência nas escolas, além de favorecer a identificação das barreiras que dificultam a aprendizagem. “O compartilhamento das melhores práticas do processo de inclusão entre representantes de diferentes países favorecerá a busca por novos caminhos e estratégias que colaborem para o avanço da educação inclusiva”, frisou.

De acordo com o educador e autor de mais de 30 livros, Tiago Aquino (Paçoca), também organizador do Congresso, os participantes do CEI terão uma oportunidade única de estar “em um dos eventos mais esperados de 2020 que, depois de passar pela África e Europa, chega, finalmente, ao Brasil (…). O CEI também se diferencia por ser sediado na linda cidade de Salvador que, sem dúvida, envolverá o evento com muita cultura e arte”, destacou. 

Além de ricas palestras, o evento contará com apresentações culturais, noite baiana, lançamento de livros, city tour – para participantes de outras localidades que optarem pelo passeio – e outras surpresas. O CEI é realizado pela Mcsilva Produções e Eventos (Bahia) e pela Brincadeiras e Jogos (São Paulo), em parceria com a Associação Brasileira de Psicopedagogia (Seção Bahia), Projeto Abraço a Microcefalia, Editora Supimpa, Treina Educacional e Brinkedoteka. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar