ColunasSaúde

Odontóloga explica o porquê e quando é o melhor a remoção dos dentes

Incomoda a alguns, a outros nem tanto, e outros nem mesmo os têm. Fato é que, em certo momento da vida, os terceiros molares – mais conhecidos como dentes sisos – precisam ser removidos. Mas, não é em todos os casos que tal remoção é necessária. A dentição, que fica ao fim da arcada dentária, não é receita de bolo, isto é, vai depender de paciente para paciente.

Segundo Ruth Tramontani, coordenadora de Odontologia da UNIVERITAS – Centro Universitário Universus Veritas Rio de Janeiro, algumas pessoas conseguem acomoda-los por possuírem espaço na mandíbula para estes dentes. Porém, há casos em que o espaço na arcada é insuficiente.

“Quando não removidos, os dentes sisos podem provocar complicações bucais, como o acúmulo de restos alimentares e, consequentemente, de bactérias, inflamação com dor e o surgimento da cárie. A falta de espaço gera alinhamento e esses dentes erupcionam em local errado, causando interferências na função estética e mastigação”, explica Ruth.

Vale ressaltar, no entanto, que após a extração todo cuidado é pouco no pós-operatório. É necessário o uso das medicações indicadas pelo dentista para evitar acúmulos alimentares no local atingido, bem como evitar bochechos nas primeiras 24h para evitar hemorragias. Assim, uma vez removidos, os tenebrosos terceiros molares não são mais um problema e não apresentarão novos riscos à saúde bucal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar