Bahia

A agricultura forte com estratégia de parcerias interinstitucionais

Fruticultura, apicultura, caprino-ovinocultura (de corte e de leite), cafeicultura, cacauicultura, mandiocultura, citricultura, cajucultura, piscicultura, avicultura e bovinocultura de leite estão entre os sistemas produtivos da agricultura familiar, mais fortalecidos na Bahia com investimentos do Governo do Estado. Tanto na oferta de assistência técnica e extensão rural (Ater), regularização fundiária, distribuição de insumos, infraestrutura, agroindustrialização, apoio à logística e acesso ao mercado, dentre outras ações que resultam na produção de alimentos saudáveis, de qualidade e com valor agregado. 

Para potencializar essas ações, ampliar a geração de trabalho e renda, e  melhorar as condições de vida agricultores e agricultoras familiares, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da estratégia Parceria Mais Forte, Juntos para Alimentar a Bahia, segue firmando parcerias com organizações sociais, prestadoras de assistência técnica e extensão rural (Ater), Sindicatos de Trabalhadores Rurais, instituições financeiras e de ensino e pesquisa e Prefeituras Municipais, sendo ampliada com os consórcios públicos.  

O resultado é maior produção de alimentos, com valor agregado, agricultores e agricultoras familiares com renda e, consequentemente, mais recursos circulando na economia dos municípios. Na Bahia, a agricultura familiar abrange 593 mil estabelecimentos rurais, chegando a quase dois milhões de agricultores e agricultoras. 

Para o chefe de gabinete da SDR, Jeandro Ribeiro, Parceria Mais Forte é uma estratégia de integração entre os diversos segmentos do poder público e de organizações sociais e instituições financeiras e um grande enlace das políticas públicas, executada por meio de parceria. Ele destaca que a Bahia é um exemplo em gestão de consórcios públicos, tanto na área de saúde, como na área de infraestrutura, e que abarcou essa estratégia de desenvolvimento econômico do estado da Bahia, em nível territorial.  

“Hoje nós já temos 237 municípios, via 15 consórcios públicos, que já estão firmando contratos e convênios com o Estado. O objetivo é ampliar a produção de alimentos e o dinamismo econômico dos municípios, por meio da atividade rural e tendo como protagonista a agricultura familiar, que abrange 77% dos estabelecimentos rurais, de famílias que colocam a sua mão de obra para gerar renda. A Bahia vem se destacando com essa ação do Parceria mais Forte, incrementando o crédito, por meio dos agentes financeiros, fazendo investimentos complementares, via programas e projetos da SDR e buscando a geração de emprego e renda, especialmente para esse período de pós-pandemia”. 

Fórmula de sucesso 

Um desses exemplos de parceria é o município de Santana, localizado no Oeste da Bahia. Com o apoio do governo estadual, a Prefeitura qualificou os agricultores e agricultoras familiares. Atualmente, o município conta com uma equipe técnica multidisciplinar, formada por engenheiro agrônomo, veterinários, zootecnista e técnicos em agropecuária, para a prestação do serviço de assistência técnica e extensão rural (Ater).  

O prefeito de Santana, Marco Cardoso, popularmente conhecido como Marcão, destaca que a agricultura familiar está na base da economia do município: “As iniciativas que valorizam e contribuem para o desenvolvimento do povo do campo estão entre nossas prioridades. Como parte disso, buscar apoio e fechar parcerias com o Governo do Estado, por meio do Parceria Mais Forte, nos ajuda a continuar investindo e melhorando a vida do homem e da mulher do campo. Isso tem sido fundamental para agregar o que podemos fazer, enquanto município, ao que o Estado pode nos fornecer de suporte técnico e apoio também com investimentos importantes. Acreditamos que essa tem sido uma fórmula de sucesso”. 

Já foi realizada também, em Santana, a reforma e a ampliação do mercado municipal, distribuídas mudas de mandioca, frutíferas, essências florestais e entregas de equipamentos agrícolas. Está em fase de conclusão a obra de construção de um laticínio. 

Com esse apoio, foi possível viabilizar o beneficiamento e a comercialização de diversos produtos, iogurte, queijo, requeijão, doces, mel de abelha, linguiças, carnes e peixes, que passaram a ser certificados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM), implantado no município.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: