CidadesSalvador e RMS

100 mudas serão plantadas às margens de Lagoa em Stella Maris em Salvador

O movimento “Abrace a Restinga”, realizado por moradores de Stella Maris e Praia do Flamengo com o apoio da Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia (ACEB) no final de abril, começou a surtir efeito. Após o ato que chamou a atenção para a necessidade de preservação da vegetação característica da restinga, a Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa) decidiu promover um plantio de 100 mudas de espécies da restinga na mata localizada às margens da Lagoa, nas proximidades de onde estão situados equipamentos operacionais da concessionária de serviços de saneamento básico. As mudas serão doadas pelo Parque das Dunas, através da Unidunas, OSCIP que administra o ecossistema de dunas, lagoas e restingas da Área de Preservação Permanente (APA) do Abaeté. Os primeiros plantios serão feitos na próxima terça-feira (11). 

Para definir a área do plantio e acertar outros detalhes, as entidades envolvidas se reuniram com moradores da localidade na última quinta-feira (6). De acordo com a coordenadora de empreendedorismo e ação social da ACEB, Anne Cristina Nogueira, que participou do encontro, o entendimento coletivo de que o desenvolvimento na região precisa ser sustentável é fundamental. “Além de combater a supressão de vegetação para construção de quadras e quiosques, o movimento Abrace a Restinga é contra a instalação de contenção artificial contra erosão, já que a manutenção da restinga é a melhor forma de redução da erosão”, frisou.

Divulgação

Para a moradora da Praia do Flamengo, Marília Oliveira, a contenção do salitre é um dos maiores benefícios da manutenção da vegetação de restinga. “O ar que vem do mar vem cheio de salitre, mas a vegetação de restinga  segura esse salitre. Além disso, ela é o habitat de muitas espécies animais. Amo andar na beira do rio e ver  as iguanas  enormes circulando na área”, pontuou.

Segundo a assistente social e integrante da gerência de suporte socioambiental da Embasa, Karla Barretto, a decisão de contribuir para a preservação da restinga foi fruto de um diálogo prévio entre ela, a moradora Olivia Cruz e o gestor do Parque das Dunas, Jorge Santana. “A Embasa vai contribuir com a equipe de jardinagem e os recursos necessários  para a execução  do plantio. Com a ação, esperamos despertar para novas iniciativas que venham somar esforços para essa causa”, resumiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: